fbpx
tendencias-marketing-digital-2020-projecttus

Tendências do marketing digital em 2020

O marketing digital vem a cada ano se posicionando e mostrando que veio para dominar a internet. Em 2020 não será diferente! Muitos antes do ano apontar, os maiores especialistas da área já lançavam suas apostas sobre o que estaria em alta este ano. Agora nessa semana, junto com os planejamentos anuais, as previsões estão bombando e todos estão loucos para saber no que apostar suas fichas em 2020! Mas quais será que são essas tendências do marketing digital em 2020?

Nosso país, apesar da economia e das decorrências dela, tem apostado e se dado muito bem no cenário digital. As grande varejistas tem apostado tudo e crescido muito também porque tem investido de verdade em marketing digital e estratégias que abraçam o online. 

Mas, antes de apostar tudo em uma só estratégia, nosso conselho número 1 para você, é avaliar todas as tendências que vamos mostrar, considerando o funcionamento do seu nicho. Considerando isso, esteja sempre por dentro de tudo que está acontecendo e busque se antecipar e sair na frente sempre!

Então, para performar ainda mais em 2020, confira as principais tendências do marketing digital para esse ano:

Tendências do marketing digital em 2020

1. Buscas por voz

A frase “Ok, Google” tem se tornado parte integrante do nosso dia-a-dia cada vez mais. Ela integra o processo de pesquisa nos buscadores realizada por voz. Seja ela feita no Google, na Siri, na Cortana ou independente da plataforma, sabemos que você já tentou alguma vez. 

E não é só você! 

Segundo uma pesquisa realizada pela ComScore, nesse ano, a previsão é que cerca de 50% das pesquisas já sejam realizadas por voz. Isso impactará diretamente na otimização dos sites para as ferramentas de busca, uma vez que eles possuem relação direta. Ou seja, sua atenção para SEO deverá redobrar! 

Além da estratégia habitual de SEO do seu site, é importante estudar o funcionamento estrutural semântico das buscas por voz, que acontece de forma diferente das pesquisas digitadas.

2. Expansão do trabalho de SEO

Não é só devido às buscas por voz que sua estratégia de SEO deverá melhorar, mas você precisa dar atenção cada dia mais a isso porque os algoritmos têm mudado. Muito!

Os sites e algoritmos têm se tornado cada vez mais complexos no sentido de aprimoramento. Se antes o trabalho de SEO focava-se nas páginas de blog, hoje é preciso adequar o SEO da página mesmo com as mais diversas funcionalidades que ele apresente.

3. Humanização do marketing

Esse é um tema que já vêm sendo comentado há algum tempo, mas nesse ano o cerco vai fechar cada vez mais! Isso porque a cada dia que passa, as pessoas tem buscado identificação com as marcas. Principalmente os jovens, estão mais atentos e conscientes das formas de venda, propaganda, fabricação e tudo relacionado àquilo que consomem. As empresas que falem de forma humana e real são as que têm se destacado nesse cenário.

O primeiro pilar nesse contexto é acrescentar mais um P aos 4 famosos P’s do marketing: o de pessoas.

Antes, o marketing agressivo e cheio de hipérboles e superlativos era o que mais funcionava. Cansamos de ver inúmeros comerciais com o famoso slogan “é só hoje” ou propagandas apelativas focando somente no produto.

Hoje, as pessoas buscam conexões!

As marcas que conversarem cada vez mais com os sentimentos, desejos e expectativas das pessoas, se destacarão cada vez mais.

Algumas estratégias que podem te ajudar nisso, é usar o storytelling em seu marketing ou o people marketing. O storytelling vai criar uma história, inserindo seu produto em um contexto humanizado que vai ter mais chances de conexão e identificação com seu cliente. Já o chamado “people marketing” vai unir storytelling e IA para mapear e analisar o comportamento das pessoas, podendo unir a realidade do consumidor e construir suas estratégias de vendas em cima disso.

Uma marca que é referência em humanização é a Nike. Ela utiliza o storytelling para contar história de diversos atletas e pessoas, abraçando causas através dessas histórias. Confira:

4. Marketing one-to-one

Essa estratégia tem muito a ver com a tendência de humanização da marca e promete vir com tudo esse ano! 

O marketing one-to-one é uma forma de interagir com o consumidor, focando em suas preferências e comportamento. Um exemplo disso é o feed do Facebook, que após um certo uso da rede, passa a exibir assuntos do seu interesse, assim como publicações de pessoas que você interagiu com maior frequência. 

Não é só o Facebook, mas a maioria das métricas utilizadas no marketing digital hoje, focam em capturar dados que possam ser utilizados justamente para personalizar a experiência do consumidor.

Esse foco tende a crescer cada vez mais, porque os consumidores têm voltado seu olhos e seu bolso para marcas que oferecem experiências personalizadas. É o que mostra uma pesquisa da Accenture Interactive, apontando que 91% dos consumidores se declaram mais propícios a comprar com marcas que trazem ofertas e recomendações relevantes aos seus interesses.

Mas como fazer marketing one-to-one? Nossa dica é investir no inbound marketing!

Hoje essa estratégia é uma das que melhor consegue realizar esse trabalho de experiência personalizada, por causa das diversas etapas que incluem a coleta de dados do consumidor e o envio de conteúdo personalizado a cada lista. Funciona assim: invés do consumidor conhecer diretamente seu produto, ele faz buscas por conteúdos que sejam interessantes para ele e, depois, de forma não agressiva e personalizada, o produto encontra esse possível lead. A partir disso, o lead é inserido em um funil que mapeia qual é sua necessidade, oferecendo uma solução específica à sua dor. 

5. Podcasts

2019 foi o ano do podcast mas 2020 será mais! A mídia se consolidou definitivamente e, neste ano, com certeza buscará novos rumos. No último ano, segundo dados do Spotify, o número de usuários ouvindo podcasts em sua plataforma aumentou 175% e esse número tende a crescer muito mais! 

Os podcasts não têm se destacado pela quantidade de ouvintes, mas pela qualidade do que vem sendo produzido e do engajamento que tem gerado. Como a variedade de conteúdos é bem vasta e com inúmeras possibilidades, cada dia mais tem surgido novos podcasts com muitos assuntos relevantes. 

Hoje, 28% dos brasileiros afirmam nunca ter ouvido um podcast e 32% ainda não sabem o que é. Mas, em contrapartida, a porcentagem que escuta têm se mostrado muito engajada: 19% escutam podcasts três vezes por semana, enquanto 13% ouvem uma vez, 5% ouvem uma vez a cada 15 dias e 8% apenas uma vez por mês. O que é um número bem expressivo!

Para se destacar com seu podcast, aposte em um conteúdo de valor e relevante para a sociedade. Além disso, foque em um nicho só – o que funciona e caracteriza bem esse universo.

6. Transparência e segurança

Desde março de 2018, quando o caso Facebook e Cambridge Analytica veio à tona, o debate sobre transparência e segurança se intensificou. Além das pessoas, passarem a prestar mais atenção na segurança de seus dados na internet, as empresas também tiveram que re-adequar-se e serem mais transparentes no mundo digital. 

Um decorrência desse debate foi a Lei Geral de Proteção de Dados, inspirada na lei europeia de mesmo cunho, foi aprovada o Brasil e formalizou e deu regras claras a como os dados devem ser usados, principalmente na web.

Leia mais: LGPD: o que é e como sua empresa deve se adequar

E por que esse tema será relevante esse ano? Porque em agosto acaba o prazo para que as empresas se adequem a essa nova lei e você precisa estar bem atento a isso!

7.  Análise de sentimentos

A análise de sentimentos tem despontado como mais uma estratégia para utilizar dados de comportamento para construção do marketing de cada empresa. Através dela, são avaliadas as opiniões e a reputação de cada marca, além do “humor” que cada marca gera nas pessoas. 

A ideia principal é coletar essas percepções e, posteriormente, estudar como elas influenciam no comportamento do consumidor.

Essa estratégia surge dessa busca por humanização das marcas, mas apoia-se bastante no machine learning para essa coleta. A ideia é que esse ano essa estratégia cresça ainda mais, como já vem crescendo exponencialmente, já se consolidando como uma das áreas de maior pesquisa em processamento de linguagem natural.

8. Estratégias de geolocalização

A localização hoje é uma ferramenta potente! Seja para a empresa ou para o consumidor, os benefícios podem ser muitos. Por isso, hoje é indispensáveis adequar-se e sempre divulgar a localização.

A empresa que possui a localização bem clara em seu site e redes, tem a vantagem de sempre aparecer no Google para quem está mais próximo de você. Isso está relacionado àquela estratégia que comentamos anteriormente do Google oferecer opções de resultados de pesquisa cada vez mais personalizadas ao usuário. A localização se encaixa e agrega muito nessa estratégia deles.

Por exemplo, se um usuário busca por “academia em Curitiba”, os primeiros resultados exibidos serão de academias que estejam próximos ao local que o usuário está naquele momento ou próximos ao endereço cadastrado.  Mas, para isso, o site e redes dessa academia precisam estar completos e otimizados para aparecerem nesta busca.

Algumas plataformas que trabalham especificamente com o uso de geolocalização são o Google Adwords, Facebook Ads e Waze Ads. No caso deles, a localização é utilizada como dado para veiculação de anúncios personalizados. O que é uma estratégia potente para as marcas utilizarem, alcançando exatamente o target e potencializando os resultados.

Nesse ano, se você ainda não utiliza essa estratégia a favor do seu negócio, comece agora mesmo! Cada vez mais, as plataformas de anúncios tem desenvolvido para entregar resultados cada vez melhores e converterem mais.

9. Checkout simplificado

Quem tem e-commerce, já conhece os inúmeros problemas que surgem na hora do checkout da compra. Sendo que a maioria sempre gira em torno de um só problema: a complexidade de informações necessárias para concluir a compra.

Algo que muitas empresas já têm feito e vai se tornar ainda mais forte esse ano, talvez nem como tendência, mas uma regra necessária, é a simplificação do checkout.

Isso não significa que seu site ou sua experiência precisam ser simples, básicos ou até mesmo sem graça. Não tem a ver com isso, mas com facilidade. Seu site pode ser incrível, com um design moderno, com produtos de grande qualidade e um branding super bem feito, mas se quando seu cliente for realizar o checkout de compra, ele tiver algum problema, toda a experiência construída irá por água abaixo. E você não vai vender – o que é o objetivo principal.

Simplificar o checkout de compras está relacionado a construir um processo fluído de checkout. Alguns pontos que você pode investir mais para melhorar essa etapa é: elaborar um funil de vendas menor, inserir um login simples, otimizar o responsivo do seu site (principalmente para mobile!), inserir uma barra que mostre as etapas da compra, investir em gateways de pagamento e de frete que dêem mais opções ao usuário, colocar a opção de compra com um click.

Essa última opção foi a estratégia patenteada pela Amazon lá em 1999 e que, com certeza, auxiliou no crescimento da marca. Isso porque a compra com um clique elimina o problema de abandono de carrinho, que acontece em cerca de 70% das compras.

Leia mais: AMAZON: 10 lições do maior e-commerce do mundo

Simplifique a venda para seu cliente! Esse é o foco para 2020.

10. Omnichannel x Unified Commerce

Omnichannel, omnichannel, omnichannel. Ouvimos tanto sobre isso em 2019! Acredito que já tenha ficado bem claro na cabeça de todos, a importância de uma loja omnichannel, não é mesmo? 

Em 2020, as marcas vão aderir ainda mais a essa estratégia, como uma forma de potenciar e resgatar seus clientes pelo digital. Mas, dentro disso, outra estratégia tem sido mais assertiva: o unified commerce.

Com o omnichannel, temos a integração dos canais de venda, mas com sistemas e fontes de informação diferentes. Isso porque as lojas físicas que já possuíam seus próprios sistemas, criaram sistemas separados para o e-commerce. 

Leia mais: Empresas Omnichannel Brasileiras: você precisa dominar essa estratégia

Mas com o unified commerce, essa integração de sistemas e também de vendas passa a ser única e isso influencia na experiência e forma de compra do consumidor. Um exemplo é o guideshop – estratégia utilizada pela Amaro, por exemplo -, que permite ir a uma loja física, provar as peças, escolher, mas finalizar a compra e receber em casa. Tendo assim uma experiência múltipla, mas unificada ao mesmo tempo.

Por que essa estratégia tende a ser mais assertiva? 

Uma pesquisa recente de 2019 mostrou que 97% dos consumidores digitais brasileiros pesquisam sobre o produto na internet antes de realizar a compra na loja física (CNDL e SPC Brasil). Além isso, 75% dos spendsetters (consumidores jovens que ditam tendências de compra) afirmam que comprariam mais em lojas físicas se não houvessem tantas filas. Eles também afirmam que gostariam de pagar pelo app ainda que estivessem na loja física.

Ou seja, o consumidor têm mostrado que prefere essa integração unificada. Logo, é a ele que você deve ouvir.

11. Social commerce e social shoppers

As redes sociais já que consolidaram como um forte e potente canal de vendas. Mas a cada ano mais, as redes têm trazido soluções otimizadas para a realização de comércio em suas plataformas – o que não era a finalidade primordial. Um exemplo é o investimento do Facebook em sua ferramenta de marketplace, que no último ano cresceu muito.

Mas por que comprar por redes sociais funciona tão bem?

Essa estratégia está totalmente ligada com tudo que falamos nesse artigo sobre humanização e facilidade! A humanização que existe nas redes, junto com as opiniões, as pessoas, o calor humano que remete aos grandes centros de compra, são uma influência gigante para esse tipo de comércio eletrônico. As redes aproximam o usuário das lojas, dão poder de fala a eles, permitindo que eles interajam com o conteúdo, falem sobre a qualidade do produto e a experiência de compra e tenham um pós venda garantido.

Os social shoppers, como são chamados os compradores dentro das redes sociais, afirmam que costumam compartilhar suas experiências boas de compra em 72% das vezes. O que é uma super vantagem para as empresas, porque é a prova social a favor do marketing da sua loja.

Ainda não executa nenhuma das estratégias e tendências que mostramos? Não deixe para depois que seu concorrente fazer! Elabore sua estratégia de marketing digital com a gente! A Projecttus têm as melhores soluções para seu negócio performar ainda melhor no digital!


Últimos posts publicados

View all projects
rd-station-automatização-de-marketing

Por que o RD Station é a melhor solução de automatização de marketing?

Nos últimos anos, o marketing passou por muitas revoluções, dentre elas, a revolução tecnológica, que veio…
Leia mais
A importância de um site responsivo

A importância de um site responsivo

Muito se ouve falar sobre sites responsivos. Mas você tem noção da importância que um site…
Leia mais
marketplace-americanas-com

Vale a pena anunciar no marketplace Americanas.com?

Referência no comércio eletrônico e eleita 6 vezes consecutivas pelo Ebit como a marca mais querida,…
Leia mais

Receba artigos e materiais gratuitos

Cadastre seu e-mail e fique por dentro das novidades, com dicas e artigos do mundo dos negócios on-line.

Mais do nosso blog

Ver todos os posts