fbpx

Panorama e-commerce Brasil

O e-commerce é muito utilizado nos dias atuais já que oferece diversos benefícios para os consumidores, mas ele só proporciona resultados positivos quando utilizado de forma correta e, principalmente, planejado com toda atenção e baseado em resultados do mercado brasileiro e, se possível, internacional. Um dos principais fatores para se obter êxito nos negócios é monitorar o setor de atuação, no caso dos empreendedores que atuam no mercado de varejo, é importante acompanhar todos os detalhes do e-commerce no Brasil.

Existem vários fatores que transformam a sociedade e impactam no comércio, como as novas tecnologias, mudança no perfil e o hábito de consumo das pessoas. Com base nesses resultados, é possível conduzir as estratégias e o posicionamento da empresa de forma mais eficiente e lucrativa. Realize pesquisas, analise o comportamento do cliente e, principalmente, conheça os interesses dele.

Não é novidade que no nos últimos anos o Brasil sofreu a pior crise econômica das últimas décadas. Já 2017 vem sendo um ano de ligeira retomada da economia e de aumento do PIB, afirmam especialistas. Durante este período, o comércio eletrônio ganhou força, por outro lado o varejo físico sofreu uma queda nas vendas. Faz um tempo já que o comércio eletrônico aumenta seu faturamento ano após ano. Para este ano era esperado que as vendas realizadas pela internet representem 4,3% de todas as vendas. No ano anterior, essa parcela foi de 3,8%.

Em 2016, o segmento faturou em torno de R$ 44,4 bilhões, para 2017 foi estimado pelo  E-bit um crescimento de 12%, totalizando 49,7 bilhões. Já a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm) faz uma estimativa ainda mais otimista para 2017. Segundo a entidade, o setor fechará o ano com um faturamento de R$ 59,9 bilhões. Em volume de pedidos, este ano o e-commerce deve crescer 3,5%, totalizando cerca de 200 milhões de transações, e a média do ticket médio deve ser de R$ 452,00.

Panorama do e-commerce

Resultado de imagem para Panorama e-commerce Brasil

No final do ano passado, o E-commerce Brasil, em parceria com o Sebrae Nacional, divulgou a 3ª edição da Pesquisa Nacional do Varejo On-line, trazendo importantes indicadores do panorama do e-commerce brasileiro.

  • Taxa de abandono de carrinho;
  • Desempenho da lojas virtuais;
  • Dificuldades do e-commerce.

Dentre os resultados, destaque para o índice de abandono de carrinho, que vêm reduzindo conforme o histórico da pesquisa. Em 2014, essa taxa era de 58%, diminuindo para 38%, em 2015, e chegando, no último estudo, a 34%. Isso mostra o quando as empresas que atuam no comércio virtual estão se profissionalizando e investindo para aumentar a competitividade.

Ainda de acordo com o estudo, 58% das empresas participantes afirmaram operar com lucro, e 28% empatam lucro com prejuízos, indicando o quanto o setor apresenta uma boa taxa de sucesso para empresas sérias. A taxa de conversão permaneceu na casa dos 1,5%, e o volume de pedidos mensais foi de 50 transações. Quanto ao porte das lojas virtuais, a pesquisa mostrou que 90% delas são pequenas e médias empresas.

No que diz respeito às dificuldades em trabalhar com e-commerce, os e-varejistas apontam a tributação, a logística e o marketing como os principais entraves. Isso mostra o quão relevantes são os serviços de integração de fretes e inteligência em marketing para tornar o e-commerce mais competitivo.

De acordo com o estudo do E-commerce Brasil, em 2016, os segmentos que lideraram as vendas no e-commerce foram: moda (30%), casa e decoração (13%), informática (12%), beleza (10%), eletrônicos (9%) e esporte e lazer (7%). Segundo o presidente do E-bit, Pedro Guasti, este ano os setores que mais devem faturar no varejo virtual são: eletrodomésticos, eletroportáteis e celulares, utilidades domésticas e peças para automóveis.

Quanto ao uso de dispositivos móveis para acessar a internet, os dados apenas comprovam o que já vem sendo afirmado há um tempo. Segundo o IBGE, mais de 90% do acesso à rede é feito por smartphones e tablets. No referido a compras por esses aparelhos, a participação deve ser de 32% este ano. No ano passado, foi de 21,5%; e, em 2015, 12%.

Fonte: frenet

Últimos posts publicados

View all projects

5 tendências do e-commerce para você ficar atento em 2021

Que 2020 foi um ano intenso e cheio de transformações nós já sabemos. Essas transformações vieram…
Leia mais

Calendário Projecttus 2021: o planejamento que faltava para fazer o seu e-commerce decolar

O ano de 2020 está quase no fim e, após tantas realizações, pensamos em compartilhar com…
Leia mais

Os 10 conteúdos que mais ajudaram nossos clientes em 2020

2020 foi, com certeza, um ano de muitos desafios. Isso não gera mais dúvidas. As mudanças…
Leia mais

Receba artigos e materiais gratuitos

Cadastre seu e-mail e fique por dentro das novidades, com dicas e artigos do mundo dos negócios on-line.

Mais do nosso blog

Ver todos os posts