fbpx
O impacto do coronavírus no e-commerce

O impacto do coronavírus no e-commerce

O novo coronavírus pegou todos nós de surpresa e muitos e-commerces estão em dúvida sobre como lidar com suas operações nesse momento. 

Um fator que veio a tona foi a grande dependência que a economia mundial tem da indústria chinesa. Como o epicentro da pandemia foi lá, muitas fábricas pausaram sua produção, deixando a maioria das empresas tendo que lidar com a falta de insumos. Foi o caso da LG e da Honda, que divulgaram estar planejando suspender suas operações por isso.

Sem falar das fronteiras fechadas e alta no dólar.

Os impactos do coronavírus, sem dúvidas, assustou muita gente. Mas, meio aos caos, só fomos observando as vendas online aumentando, aumentando e aumentando. Se é para ficar em casa, as pessoas vão precisar adquirir tudo que precisam de dentro de casa. 

É aí que o e-commerce entra.

Leia mais:
Magento: a melhor plataforma para expandir seu e-commerce
10 fatos sobre e-commerce que você não sabia
Marketing digital para e-commerce: entenda a diferença dessa estratégia

E-commerce como oportunidade de negócio

Com o isolamento por causa do coronavírus, a rotina a comportamento das pessoas mudou muito. Mas, meio a tanto caos, os e-commerces estão super em alta e a demanda pelos produtos tem aumentado cada vez mais.

Por isso o e-commerce é a grande oportunidade de negócio do momento. E há grande espaço no Brasil para esse mercado: hoje as vendas online não passam de 5% do mercado, o que fica abaixo da média mundial que é de 6,5%. Com a oportunidade a vista, o nicho escolhido e toda a estratégia traçada serão fundamentais para aumentar essa participação no mercado brasileiro.

Para quem ainda não vendia online, agora é uma boa estratégia para não perder suas vendas. Vimos muitas instituições lançadas plataformas de incentivo às vendas e formas de ajudar, principalmente, pequenos negócios. Como foi o caso da nova plataforma da Magazine Luiza ou também da parceria da Olist com a Agência Curitiba para incentivar artesãos locais, que já contamos aqui no blog.

As empresas de delivery tem sido fundamentais nesse momento também e, se você possui produtos que se encaixam em apps de delivery, por exemplo, não deixe de aderir a essas plataformas como forma de manter suas vendas.

Mas, para os e-commerces, a estratégia traçada, a compreensão do novo comportamento do cliente com a pandemia e a minimização do impacto de outros setores, serão determinantes para o seu sucesso nesse momento.

Como minimizar o impacto do coronavírus no seu e-commerce?

Sabemos que movimentar um e-commerce envolve muitas áreas. Desde a parte de produtos, logística, estoque, funcionários, atendimento, comunicação e por aí vai. Uma crise como essa afeta a maioria dessass setores, mas há diversas formas de você readequar suas operações para que o impacto sobre cada um seja mínimo.

Muitas empresas foram rápidas na readequação de seu negócio, mas se você ainda não fez nada, pode fazer uma prevenção tardia. 

Essa prevenção e readequação consistem em algumas ações que você pode fazer pelo seu e-commerce para minimizar o impacto do coronavírus. Confira:

1. Não pare de vender

Essa dica pode parecer boba a princípio, mas foi o que muitas lojas fizeram. Nos preocupamos muito a quantidade de lojas e comércios que vimos fechando, invés de tentarem se readequar. O desafio é grande, mas é melhor tentar vender um pouco e readequar as operações, do que simplesmente parar tudo. 

No começo da quarentena em março, por exemplo, enquanto algumas lojas fecharam enquanto outras resolveram diminuir sua capacidade e realocar as equipes. Essas que continuaram, viram os pedidos caírem em um primeiro momento, mas seguiram firmes e apostaram em novas estratégias. Isso foi essencial para que elas fechassem o mês no positivo e voltassem a ver as vendas crescerem.

2. Não dependa apenas de um fornecedor

Essa dica vale tanto para tempos de isolamento, quanto para dias normais. Depender de apenas um fornecedor é uma cilada sempre! Você não pode depositar sua confiança apenas em uma empresa, porque são vários os problemas que ela pode ter e acabar não te entregando o pedido.

Mas, caso você tenha apenas um fornecedor, agora é o momento de fazer as ligações, fechar negócio ou deixar algumas empresas no seu radar. 

Como comentamos, a maioria da obra-prima dos materiais vem da China e para quem depende somente deles, por exemplo, pode sofrer alterações no fluxo de recomposição do estoque.

3. Expanda o seu estoque

Muitas empresas estão freando custos, mas dependendo do seu ramo, agora pode ser a hora certa de expandir seu estoque. Isso por dois motivos: oportunidade de mercado ou por crise de fornecimento.

Se você é do ramo de limpeza, alimentos ou bens essenciais, agora é a hora de vender, porque o consumo desses itens tem aumentado muito. Tanto que muitos mercados que não estavam com o estoque preparado, não estão dando conta do volume de pedidos online.

O segundo motivo é pela crise de fornecimento. Em breve passaremos por uma crise com o fornecimento de alguns materiais, então agora é o momento de investir um pouco mais para garantir um estoque bom por um bom tempo maior. Mesmo que a quarentena passe logo, assim que acabar, os pedidos nos fornecedores serão muito grandes e eles não vão dar conta da entrega. Então quem tiver estoque e conseguir aguentar a falta de produtos sem alterar o seu valor, vai se garantir por mais tempo. 

4. Aproxime-se do seu cliente

O seu cliente é quem mais você deve agradar nesse momento. Essa fidelização, vai fazer com que ele continue comprando com você agora ou depois da crise. 

Uma forma de se aproximar do público, que muitas marcas tem investido fortemente, é na produção de conteúdo. Desde stories com dicas, vídeos, e-mails, posts, há várias formas de entreter e informar seu público nesse período, criando assim uma conexão com ele, que vai além de vendas.

Além disso, se posicionar sobre a situação atual do mundo e demonstrar sua preocupação e engajamento é algo que demonstra muita empatia e humanização da sua marca, o que faz muita diferença para o público. 

5. Fortaleça a venda local

Principalmente por causa do envio de produtos, o tempo de entrega tem sido afetado em alguns casos. A situação futura das entregas ainda é incerta também. Por isso, nesse momento é importante você fortalecer suas vendas locais. Talvez daqui a pouco você não consiga vender para países fechados ou estados com decretos internos. Contudo, localmente é mais viável pensar formas de entrega alternativas.

O que mudou no comportamento do consumidor?

O consumidor também foi pego de surpresa com a quarentena por causa do coronavírus e acabou alterando sua forma de consumo. Se antes as compras online faziam parte da vida apenas de alguns, muitos optaram por aderir essa forma de consumo por sua segurança. 

Não só isso, mas a mudança de rotina também influenciou muito no comportamento do consumidor de e-commerces.

É o que mostra o mais recente estudo da Social Miner, que analisou exatamente o que mudou no comportamento do consumidor com a pandemia do coronavírus.

Vendas por dia

O impacto do coronavírus no e-commerce - vendas por dia (Social miner)

No início da quarentena devido ao coronavírus, na segunda quinzena do mês de março, as vendas no e-commerce tiveram uma queda. Mas essa queda foi um reflexo esperado do momento de mudança na vida das pessoas, onde elas estavam tentando entender tudo o que estava acontecendo e assimilar sua nova rotina. 

Tanto é que, após uma semana, por volta do dia 23, as vendas começam a subir novamente. Isso é uma prova de que agora que as pessoas estão se adaptando melhor com a  essa situação, elas tendem apenas a mudar o consumo de lojas físicas para o online.

Claro que terão muitas mudanças e será uma corrida muito disputada para vender no meio online. Mas as marcas com estratégias bem afinadas que se destacarem, com certeza, continuarão vendendo.

Respondentes que iniciaram novas atividades online

O impacto do coronavírus no e-commerce - novas atividades online (Social Miner)

Com esse gráfico, é possível ver como os serviços essenciais passaram a fazer parte da rotina das pessoas. O que chamou atenção foi o fato de 33% das pessoas começarem a cozinhar, o que pode ser estar relacionado a um outro dado do estudo que detectou um aumento de 24% do consumo de frutas, verduras e legumes. Mas, ao mesmo tempo, 21% responderam estar consumindo mais alimentos industrializados.

Essa mudança no consumo é uma ótima oportunidade para o ramo de alimentos. Independente do nicho, agora é a oportunidade de investir nos canais e não parar sua produção.

💡 Caso você seja de um ramo totalmente diferente, procure formas de se conectar a esse novo comportamento. Por exemplo, se as pessoas estão cozinhando mais, por que não fazer lives em suas redes sociais com dicas de receitas? É uma forma de criar conexão com seu público.

💡 O Google Analytics e outras ferramentas de análise de dados podem te auxiliar muito a entender a mudança do seu público especificamente para, desta forma, você poder criar estratégias baseadas em dados reais.

Volume de visitas nos e-commerces

O impacto do coronavírus no e-commerce - visitar ao longo do dia (Social Miner)

O volume de visitas ao longo do dia teve algumas mudanças que podem ser aproveitadas em sua nova estratégia. Mais uma vez, a mudança da rotina impactou em um aumento de consumo e acessos no final do dia, mais especificamente entre às 17 horas até as 19 horas. Horário que antes era utilizado, geralmente, para retorno para casa depois do expediente.

Esse tempo fora do trânsito resultou em noites mais calmas, com mais tempo para navegar. O gráfico inclusive mostra um pico no horário das 21 horas, que antes não ocorria.

💡 Aproveite os picos de acesso para alterar sua programação virtual, como por exemplo, o disparo de e-mail, horário das postagens e promoções com tempo determinado. A Renner e O Boticário, por exemplo, são marcas que sempre fazem promoções que duram apenas algumas horas. Aproveite os horários de pico para promoções desse tipo.

Navegação nos e-commerces via mobile por hora

navegação mobile (Social Miner)

Apesar do pico de acessos gerais aos e-commerces acontecerem em outro horário, o comportamento no acesso via mobile é um pouco diferente, sendo que o pico está acontecendo entre às 8h e 10h. 

💡  Caso o maior acesso do seu e-commerce seja via mobile, aproveite esse pico para traçar uma estratégia diferente. Vale se comunicar com um direcionamento mais para o mobile pela manhã e, à noite, utilizar estratégias mais voltadas para o desktop. Por exemplo, stories do Instagram – que é uma ferramenta do mobile – podem ser postados pela manhã, enquanto disparo de e-mails ou pop-ups no site podem ser direcionadas para o final da tarde/noite.

Vendas por dia da semana

O impacto do coronavírus no ecommerce - novas atividades online (Social Miner)

Com a proximidade do final de semana chegando, o consumo tende a aumentar. A busca principalmente por itens de alimentação e lazer aumenta muito nesse período.

Durante toda a quarentena por causa do coronavírus inclusive, segundo dados da Konduto, houve um aumento entre 58,46% a 643,05% em itens de supermercado, brinquedos, artigos esportivos e games online.

💡 Utilize esse dado pra criar estratégias em dias específicos. Determine esses dias baseado também no seu nicho específico. Cries ofertas do dia ou conteúdos que tenham a ver com a necessidade e o comportamento do consumidor naqueles dias específicos.

O futuro nas próximas semanas da quarentena por causa da pandemia do coronavírus ainda é incerto. Para o e-commerce, as previsões são boas por enquanto. E, como não se sabe a duração dessa situação, é melhor que sigamos em frente, sendo criativos em nossas estratégias e recorrendo ao máximo aos dados para traçar estratégias assertivas.

foot-projecttus

Últimos posts publicados

View all projects
Prime Day: a estratégia que ensinou muito sobre vendas em 2020

Prime Day: a estratégia que ensinou muito sobre vendas em 2020

Em 2015, para comemorar os seus 20 anos de aniversário, desde que o site foi lançado…
Leia mais
5 estratégias de planejamento para a Black Friday do seu e-commerce

5 estratégias de planejamento para a Black Friday do seu e-commerce

Se você já conseguiu dar check em todos os itens do nosso checklist, necessários para fazer…
Leia mais
Inteligência Artificial no seu E-commerce: como usá-la para aumentar a taxa de conversão

Inteligência Artificial no seu E-commerce: como usá-la para aumentar a taxa de conversão

A Inteligência Artificial é uma grande oportunidade para muitos negócios – desde micro a grandes empresas.…
Leia mais

Receba artigos e materiais gratuitos

Cadastre seu e-mail e fique por dentro das novidades, com dicas e artigos do mundo dos negócios on-line.

Mais do nosso blog

Ver todos os posts